Morena novinha bunduda, cheia de tesão, soca pepino no cuzinho

1 min 39 seg

Categoria:

Tag: , , , , , , , , ,

visualizações

1 min 39 seg

Categoria:

Tag: , , , , , , , , ,

Morena novinha bunduda, cheia de tesão, soca pepino no cuzinho

Morena novinha bunduda, cheia de tesão, soca pepino no cuzinho

Agora, quando nos zangamos, repetimos tudo com o Carlos que já não precisa de nos amarrar. Sinto seus lábios e sua língua entre minhas pernas, sua língua muitas vezes entra em mim e meutesão se transforma em desejo, seguro sua cabeça forçando-a contra meu corpo, sem parar e me deixando louca, ele vai tirando sua bermuda, tira minha perna do seu ombro eforça para me baixar sobre seu colo, até pensei que iria ter sem a camisinha e do estado que estava iria aceitar mais foi me botando de joelhos no chão segura minha cabeçame beija e direciona minha boca para seu membro, já bem duro, faço o que gostava de fazer e tento dar o melhor, seguro com umas das mãos e o coloco na boca e os movimentosde vai e vem começam.

Caramba essa foi na lata!Gabriel obedeceu, a segurou pela cintura e começou a socar, enterrava a rola no cu fechado de Isa, sentiu a pica inteira entrar no seu cuzinho.

Minha boca estava insaciável, então aumentei a pressão das lambidas e chupadas no clitóris e enfiava meus dedos com força naquela xoxota molhada!Amanda não aguentando mais, deu um grito e gozou…com força, bem gostoso!Tive um orgasmo ao sentir o gosto daquela gozada! Tirei os dedos de dentro de Amanda e os chupei e dei um beijo bem demorado naquela boca gostosa!Amanda nunca tinha experimentado nada igual e com certeza iria querer repetir aquela trepada outras vezes…""Vou me apresentar, sou morena, baixinha aproximadamente 1,60, magra, seios fartos e um bumbum pra ninguem botar defeito. Com uma toalha, sequei os cabelos, um pouco úmidos da chuva…Percebi pelas câmeras, a sombra de um carro escuro estacionar frente a porta de vidro…Eram 7:28hs…as sinaleiras desligaram, a porta abriu e desceu rápido uma mulher que se aproximou da porta de vidro…Deve estar se abrigando da chuva !…Pensei…Mas com a chave, bateu no vidro da porta…Quem será ?…Não queria atender ninguém, queria trabalhar tranquilo , sem pressão…Uma segunda batida, me despertou a curiosidade, pois pelas câmeras não podia identificar quem era…Atravessei a sala escura da recepção e surpreso, não acreditei !…Abri a porta rapidamente…Junto com o vento frio, entra ela e num impulso nervoso, se atira num abraço…Carla !!!…Seu corpo tremia, suas mãos úmidas demonstravam em excesso , a adrenalina e o medo…Carla era casada, morava numa cidade próxima, já nos conhecíamos há algum tempo, fazíamos sexo pelo computador…Só tinha acontecido um beijo, daqueles inesquecível, na primeira vez que esteve comigo…Ai, Carlos, estou com frio ! Me leva pra dentro…pediu elaAmor, sua louca …Não fala…não fala nada…Só me beija, estou muito nervosa !…respondeu ansiosa!Fomos caminhando colados, a sala ainda escura devido a hora e a chuva lá fora…Sua boca estava úmida e quente…Seu hálito gostoso e o momento inesperado, me excitou…Entre tropeços, alcançamos a segunda sala… ela me beijava, com saudades, com medo e com excitação…Deixa eu sentar, minhas pernas tremem, disse ofegante…Sorri, ainda não acreditando na loucura daquela mulher…mas uma onda de prazer me invadia…Eu e ela, estávamos seguros ali…Era sábado, com chuva…ninguém iria aparecer para interromper aquele momento de amor…A cidade ainda dormia e as pessoas também…Olhei ela sentada…Estava elegante, um vestido solto de tecido leve…a botinha de salto era delicada e no pescoço, uma corrente fininha brilhava sobre a pele clara…Ela percebeu meu olhar e me puxou…Vem cá, para de me olhar…estou com vergonha!Ela havia sentado numa cadeira executiva…Dobrei os joelhos e ficamos frente a frente…seus joelhos na minha barriga…minha boca alcançou a sua, num beijo ofegante e desejado… suas pernas se abriram, para ficarmos mais próximos…ela sentou mais na ponta da cadeira e senti seus seios encostarem no meu peito…Sua respiração dentro da minha boca, me excitava profundamente…seu vestido subiu, mostrando as pernas acima dos joelhos…minhas mãos deslizaram, acariciando aquelas pernas quentes e trêmulas…Sussurrei no seu ouvido : Vamos sair daqui?…Vamos a um motel…Não… me beija…preciso de ti, quero voce agora… me beija…Minha boca amassava sua boca quente…minha língua tocava a sua, as vezes de leve, outras furiosa…nossa saliva molhava os lábios…ela, de leve mordiscava a ponta da minha língua…Sua respiração aumentou e mostrando dominar a situação, pegou minha mão e colocou sobre sua perna…senti calor e excitação naquele toque…minha mão deslizava no tecido fino e num impulso minha mão entrou por baixo do vestido, sentindo as coxas úmidas e quentes…ela gemia cheia de tesão…lhe sussurrei :Amor, vamos a um motel !!…Não, não quero correr riscos…Quero deixar meu cheiro aqui no teu trabalho…Estou sentindo muita tesão aqui !…disse-me ela !…Vem , amor…me possui !Diante do seu desejo, beijei seus seios cheirosos…minha mão tocava suas pernas e sentia a calcinha molhada…não resisti e fui descendo, beijando seu ventre, por cima do vestido leve que cobria metade do seu corpo quente. Até os 18 anos eu ainda era virgem e não tinha namorados, tinha paqueras rápidas com os meninos do condominio que sempre acabavam resultando em cintadas para mim, meu corpo também ainda não era ainda muito desenvolvido, mas dos dezoito aos dezenove anos minhas formas deram um salto de repente, passei de menina magrela para novinha gostosa, foi quando meus maiores problemas começaram com os rapazes loucos para me comer e o papai fazendo guarda feroz!Naquela época notei uma mudança radical em papai, qualquer reclamação ou suspeita da mamãe ele me castigava de um jeito diferente agora. Loira, uns 1,70 m mais ou menos 65 kg, bunduda e com uns peitoes maravilhosos e ainda por cima super cheirosa. Gostava de penetrar tudo o que parecesse com um pau – tubo de shampoo, desodorante, escova de cabelo, pau de vassoura, pepino, banana, linguiça… Até experimentar pela primeira vez um consolo.

"Depois de lambuzar a cara dele com meu gozo, peguei aquele pênis duro e comecei a chupá-lo como ele nunca havia sentido antes.