Casada Safada Tomando De 4

19 seg

Categoria:

Tag: ,

visualizações

19 seg

Categoria:

Tag: ,

Casada Safada Tomando De 4

Casada Safada Tomando De 4

Eu fiz o que ele mandou, enquanto ele enfiava os dedos no meu cu, e gozei bastante, inclusive bebendo um pouco de minha propria porra. Estava me sentindo uma puta, como eles me chamavam. Numa determinada tarde, ela me liga com voz de putinha e diz que foi convidada para um almoço no dia seguinte, seria com este cara, para quem ela já estava louca pra dar, ele já conhecia bem, por fotos, a buceta,os biquinhos gostosos dos seus seios e o rabo gostoso que ela tem, alias que rabo delicioso, adora uns tapinhas. O Ivo se contorcia de tesão.

Entrei na piscina e ja nadei pra ficar do ladinho dela e a abracei dizendo: Mariana, voce percebeu que ta mostrando a calcinha? Ela disse: Só tem um jeito de não mostrar a calcinha, é tirando ela…kkkk (dando risadinhas de safada loquinha pra dar).

"– É exatamente o que eu preciso, porra, quente, leite, na cara, no rosto, onde você quiser!Isso sempre foi assim, sempre demonstrando respeito e carinho, um pelo outro, nós somos acostumados a sairmos juntos, sozinhos ou acompanhados é festinhas, baladas ou barzinho e foi num final de semana, quando fomos sozinhos pra casa de campo na chácara do papai, lá tinha uma piscina enorme e como eu não gosto muito de piscina, coloquei o meu biquíni e fiquei tomando sol, para me bronzear, meu irmão estava mergulhando e eu fiquei olhando pra ele e sentindo muito desejo.

Gabi estava incrédula e antes que falasse algo, tia Sandrinha se levantou do chão, deitou ao meu lado e direcionando meu pau, que ainda estava duro, pra sua buceta disse: – GABI, SOU MULHER CASADA E MÃE DE FAMÍLIA MAS TENHO VONTADES… HUMMMMMM! Ela gemeu enquanto eu a penetrava bem devagar e beijava seu pescoço. Na minha sala estudava um garoto chamado Matheus. Ao contrario: com apenas 27 anos, ele ja estava numa colocação bem importante na agencia. – Caralho, eu estou muito bêbado, deixa eu comer seu cuzinho, assim não corremos risco…Trepávamos na sala de arquivo e eu sempre amei o jeito que ele me puxava; pela calça! Pegava no passante da calça e me empurrava para trás, já com a mão no meu cabelo, enquanto roçava o pau duro na minha bunda.